Quinta, 11 de fevereiro de 2021

Comissão Especial debate retorno às aulas na Câmara de Vereadores

A Câmara de Vereadores de Santo Ângelo promoveu, na tarde desta quarta-feira, 10, uma reunião com lideranças ligadas às áreas da saúde e educação, para debater o retorno às aulas no município de Santo Ângelo.

O encontro foi proposto pela Comissão Especial de acompanhamento para o retorno da volta às aulas, e teve a participação do presidente da Casa Legislativa Nader Awad (PSD), dos edis Vando Ribeiro (MDB), Rodrigo Flores (PDT), Nivaldo Langer de Moura (NENE) (PP), e Gilberto Corazza (PT). Participaram do diálogo o secretário de Saúde Flávio Crhistensen; a secretária Municipal de Educação Eliane Stiegelmeier; a coordenadora da 14ª Coordenadoria Regional de Educação Rosa Maria de Souza; Rosani Stocker, presidente do Sindicato dos Professores; Rafael de Matos, diretor da Secretaria de Saúde, João Nascimento e Edelson Forrazza, representando o transporte escolar; Alcinda de Souza e Viviani de Almeida, do Conselho Tutelar; Rodrigo Reis representando a Coordenadoria Regional de Saúde.

Nader fez a abertura da reunião e passou a condução para Vando, proponente da comissão, conduzir os trabalhos. “Vimos que os índices de violência doméstica aumentaram muito durante a pandemia, e no nosso entender e no de muitos pais, a volta às aulas significa uma grande melhora para o futuro dessas crianças. Então, nós gostaríamos de debater quais são as condições que temos para que esse retorno ocorra em segurança, com distanciamento, protocolo, com tudo o que a saúde pode oferecer, e podermos dar um passo importante na volta às aulas”, destacou Vando Ribeiro.

O secretário municipal de saúde pontuou que além da violência doméstica, também aumentaram os quadros de ansiedade e até depressão em crianças. Além disso, o médico afirmou que é necessário estabelecer um diálogo com o Estado, para conseguir a vacinação para os professores, possibilitando o retorno se não no modelo híbrido, de forma integral.

Rosa Maria de Souza esclareceu que existe uma proposta de retorno para a Rede Estadual de Ensino a partir do dia 08 de março, que desde setembro de 2020 as escolas estão recebendo materiais e equipamentos de proteção individual e agora estão com planos de contingência sendo avaliados para que as aulas possam retornar. “Existe todo um trabalho para que possamos voltar no mês de março, que é através do ensino híbrido dentro das possibilidades, e remoto para quem não tem condições”.

Para o estado, o retorno previsto é gradual e escalonado, sendo que em 08 de março iniciam grupos menores dos anos iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano), em 11 de março os estudantes do 6º ao 9º anos do Ensino fundamental e em 15 de março ensino médio, cursos técnicos, normal nível médio e aproveiamento de ensino.

A secretária Municipal de Educação Eliane Stiegelmeier explicou que o município organizou o calendário para o iniciar as aulas presenciais e remotas a partir do dia 1º de março, trabalhando com a capacidade de 50% dos alunos, alternando semanalmente a presença dos estudantes em sala de aula. “Além de todos os protocolos, estamos fazendo um termo para que os pais possam assinar, dando a possibilidade de decidirem se querem que os filhos voltem ou não, pois muitos já sinalizaram que ainda tem medo e que nesse primeiro momento não querem enviar as crianças para as escolas”, destacou.

Alcimeris comentou sobre a experiência do Conselho Tutelar, que atende muitas famílias em situação de vulnerabilidade social e estão contando com a rede que auxilia até mesmo com a doação de cestas básicas. “Essa foi a parcerla mais atingida. Os genitores não tem compromisso com as crianças, então não tem valor o trabalho feito na escola. A nossa preocupação é que essa parcela possa voltar para escola, pois lá eles terão um ambiente para estudar. Sem falar nos diversos tipos de agressão que a gente presencia”, contou.

Um dos principais pontos debatidos após a explanação dos responsáveis pela educação e saúde, foi a possibilidade de vacinação dos professores, viabilizando o retorno das aulas. O secretário de Saúde afirmou que capacidade de imunização o município tem, depende apenas da vinda de mais vacinas para Santo Ângelo.

Após o debate e questionamentos dos vereadores, Vando Ribeiro finalizou os trabalhos da Comissão, pontuando que a Câmara de Vereadores encaminhará um ofício à Coordenadoria Regional de Saúde e ao Governo do Estado, solicitando que os professores em grupo de risco sejam incluídos nas prioridades de vacinação, e que possm receber a imunização até o retorno das aulas.

Na próxima semana, a Comissão Especial de acompanhamento para o retorno da volta às aulas, que é formada pelos vereadores Vando Ribeiro (requerente da comissão), Rodrigo Flores e Carlos Gonçalves, fará nova reunião para debater com outras entidades a retomada de aulas presenciais no município.

OUTRAS NOTÍCIAS
12 de maio de 2021
Protocolado pelo vereador Vando Ribeiro de Souza, o Projeto de Decreto Legislativo que visa conceder o título de cidadão honorário do município de Santo Ângelo ao senhor Odorico Bessa Almeida, foi aprovado por unanimidade na Sessão Ordinária da Câmara de
11 de maio de 2021
PL teve a maioria dos votos dos edis e reduz em 50% a cobrança
11 de maio de 2021
Também foram apreciados requerimentos, um pedido de informação e uma moção