Quinta, 31 de março de 2022
PROMOTORAS LEGAIS APRESENTAM PROJETO VOLTADO ÀS MULHERES EM SANTO ÂNGELO
No espaço destinado às entidades desta semana, representantes da Promotoria Legal Popular de Santo Ângelo - PLP, Liane Teresinha Mousquer Barcelos e Patrícia Antunes, apresentaram o trabalho desenvolvido pelo grupo a favor dos direitos das mulheres. A ação ocorreu durante a Sessão Ordinária desta segunda-feira(28) e contou com a participação de parte do grupo presentes na Câmara Municipal.
As Promotoras Legais Populares são lideranças comunitárias atuando em diferentes países da América Latina, conhecidas como agentes multiplicadoras da cidadania, trabalham de forma voluntária para defender os direitos das mulheres. Em Santo Ângelo, as atividades desenvolvidas pelo grupo visam prestar orientações, esclarecimentos, acolhimentos necessários às vítimas e ampliação das condições de acesso à justiça, atuam como uma ponte que aproxima a população dos serviços públicos.
Atualmente a equipe Santo-Angelense conta com 18 mulheres capacitadas em noções básicas de direito, Direitos Humanos das mulheres, organização do Estado e do Poder Judiciário, além de outras temáticas pertinentes conforme o contexto do bairro ou região no qual estão inseridas. A formação possui carga horária total de 36 horas de aula, promovida pela Coordenadoria Municipal das Mulheres, com ampla participação da Psicóloga e Vereadora Simone Lunkes (PDT), com apoio da ONG Artemis de Porto Alegre, juntamente com o Governo Municipal, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai - URI, Polícia Civil, 7º RPMon, Patrulha da Maria da Penha, Conselho Municipal dos Direitos da Mulher - COMDIM, Secretaria Municipal de Educação, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Ministério Público.Os números apresentados pelas voluntárias são chocantes, segundo elas, de cada 10, quatro mulheres no mundo sofrem violência doméstica por parte de seus parceiros. A dependência financeira, falta de abrigo, medo de represálias ao realizar a denúncia, falta de apoio dos familiares e comunidade em geral, são alguns dos motivos que fazem com que a mulher se cale, “ o que era para ser o lugar mais seguro, hoje através das diversas pesquisas históricas, o lar é o espaço mais inseguro para uma mulher. O Brasil hoje ocupa o 5º lugar no ranking de países que mais matam mulheres no mundo”, afirma Patrícia Antunes, uma das Promotoras Legais Populares do Município de Santo Ângelo. Ao procurar apoio para acabar com a situação de violência nem sempre vão nos serviços especializados, por isso a importância do debate amplo sobre a temática em todo o espaço da sociedade, na mídia, poder público e inclusive em casa, na família, destacam.
Representando a Câmara Municipal, o vereador Osvaldir Ribeiro de Souza, Presidente do Legislativo, se colocou à disposição das Promotoras, bem como enfatizou que as portas da Casa Legislativa estarão sempre abertas para recebê-las.As promotoras finalizaram agradecendo ao Poder Legislativo pelo espaço e apoio e convidam a comunidade a conhecer seu trabalho através das redes sociais. Clique aqui
OUTRAS NOTÍCIAS
10 de agosto de 2022
Agosto Lilás fortalece a luta contra a violência da mulher em Santo Ângelo
09 de agosto de 2022
Associação dos Supervisores de Educação do RS recebe homenagem da Câmara de Vereadores
08 de agosto de 2022
Músico Arnóbio Bilia recebe a Ordem da Cruz Missioneira
04 de agosto de 2022
Reunião define ações de melhorias para os pontos de táxi de Santo Ângelo
03 de agosto de 2022
Legislativo homenageia Colégio Teresa Verzeri pela passagem de seus 90 anos