Terça, 12 de abril de 2022
PORTADORES DE FIBROMIALGIA BUSCAM ALTERAÇÕES NA LEI QUE TRATA SOBRE PATOLOGIA

PORTADORES DE FIBROMIALGIA BUSCAM ALTERAÇÕES NA LEI QUE TRATA SOBRE PATOLOGIA

 

 

Nesta terça-feira (12), ocorreu no Gabinete da Presidência uma reunião com representantes do grupo de pessoas que sofrem com fibromialgia. As principais reivindicações foram o estacionamento prioritário e o cadastramento das pessoas que sofrem com a doença.

 

Já no ano de 2019, a vereadora Jacqueline Possebom enviou ao Executivo uma sugestão de Projeto de Lei que contemplava alguns benefícios para os portadores da doença como: preferência no estacionamento, atendimento prioritário em estabelecimentos públicos e privados, o Dia Municipal de Fibromialgia e o devido cadastramento e identificação dos portadores da doença, para usufruir dos benefícios. Após análise do Executivo, ainda naquele ano, o projeto voltou ao Plenário Municipal para apreciação dos vereadores, porém com uma nova redação, mais reduzida, que previa a criação do Dia Municipal da Fibromialgia e o atendimento prioritário em estabelecimentos públicos e privados do município. O projeto foi aprovado pelos vereadores e sancionado pelo prefeito Jacques Barbosa em maio de 2019.

 

Atualmente, o município possui aproximadamente 80 pessoas que declaram sofrer com a patologia, destas, 35 possuem atestado médico. O grupo busca a alteração da lei aprovada em 2019, solicitando a inclusão da preferência no estacionamento e também a identificação dos portadores da doença através da implantação de um cadastramento. Para Letícia Calegaro, Técnica de enfermagem, o estacionamento é fundamental, pois em dias de crise da doença, os portadores ficam extremamente debilitados, impossibilitando até mesmo a locomoção. Para os idosos que sofrem com a fibromialgia, a carga torna-se ainda maior devido à idade avançada.

 

Quanto à identificação dos portadores da doença, o grupo sugeriu padronizar o processo, para garantir transparência e que para pessoas más intencionadas não possam usufruir dos benefícios sem sofrer com a patologia. O processo iniciaria através da Secretaria de Saúde, onde forneceria um atestado médico comprovando a doença e após o paciente seria encaminhado para a emissão da carteirinha que garantirá os benefícios da categoria. Com a carteirinha e o atestado, o grupo pretende conseguir com maior facilidade, acesso à saúde, inclusão em programas sociais, e a prioridade no estacionamento.

 

 

Ficou encaminhado na reunião, que a Casa Legislativa enviaria um ofício ao Executivo para tratar sobre o assunto e avaliar as possibilidades. O vereador Osvaldir Ribeiro de Souza, Presidente da Câmara Municipal de Vereadores, colocou a Casa Legislativa à disposição para auxiliar no que for necessário. 

 

 

Nesta terça-feira (12), ocorreu no Gabinete da Presidência uma reunião com representantes do grupo de pessoas que sofrem com fibromialgia. As principais reivindicações foram o estacionamento prioritário e o cadastramento das pessoas que sofrem com a doença.Já no ano de 2019, a vereadora Jacqueline Possebom enviou ao Executivo uma sugestão de Projeto de Lei que contemplava alguns benefícios para os portadores da doença como: preferência no estacionamento, atendimento prioritário em estabelecimentos públicos e privados, o Dia Municipal de Fibromialgia e o devido cadastramento e identificação dos portadores da doença, para usufruir dos benefícios. Após análise do Executivo, ainda naquele ano, o projeto voltou ao Plenário Municipal para apreciação dos vereadores, porém com uma nova redação, mais reduzida, que previa a criação do Dia Municipal da Fibromialgia e o atendimento prioritário em estabelecimentos públicos e privados do município. O projeto foi aprovado pelos vereadores e sancionado pelo prefeito Jacques Barbosa em maio de 2019.Atualmente, o município possui aproximadamente 80 pessoas que declaram sofrer com a patologia, destas, 35 possuem atestado médico. O grupo busca a alteração da lei aprovada em 2019, solicitando a inclusão da preferência no estacionamento e também a identificação dos portadores da doença através da implantação de um cadastramento. Para Letícia Calegaro, Técnica de enfermagem, o estacionamento é fundamental, pois em dias de crise da doença, os portadores ficam extremamente debilitados, impossibilitando até mesmo a locomoção. Para os idosos que sofrem com a fibromialgia, a carga torna-se ainda maior devido à idade avançada.Quanto à identificação dos portadores da doença, o grupo sugeriu padronizar o processo, para garantir transparência e que para pessoas más intencionadas não possam usufruir dos benefícios sem sofrer com a patologia. O processo iniciaria através da Secretaria de Saúde, onde forneceria um atestado médico comprovando a doença e após o paciente seria encaminhado para a emissão da carteirinha que garantirá os benefícios da categoria. Com a carteirinha e o atestado, o grupo pretende conseguir com maior facilidade, acesso à saúde, inclusão em programas sociais, e a prioridade no estacionamento.Ficou encaminhado na reunião, que a Casa Legislativa enviaria um ofício ao Executivo para tratar sobre o assunto e avaliar as possibilidades. O vereador Osvaldir Ribeiro de Souza, Presidente da Câmara Municipal de Vereadores, colocou a Casa Legislativa à disposição para auxiliar no que for necessário.

 

OUTRAS NOTÍCIAS
10 de agosto de 2022
Agosto Lilás fortalece a luta contra a violência da mulher em Santo Ângelo
09 de agosto de 2022
Associação dos Supervisores de Educação do RS recebe homenagem da Câmara de Vereadores
08 de agosto de 2022
Músico Arnóbio Bilia recebe a Ordem da Cruz Missioneira
04 de agosto de 2022
Reunião define ações de melhorias para os pontos de táxi de Santo Ângelo
03 de agosto de 2022
Legislativo homenageia Colégio Teresa Verzeri pela passagem de seus 90 anos