Quarta, 26 de junho de 2013
Inclusão na rede de ensino municipal foi tema de audiência

Foi realizada ontem, dia 25, audiência pública na Câmara de Vereadores de Santo Ângelo   a fim de discutir as demanda existentes na rede de ensino municipal no que diz respeito ao atendimento às crianças com necessidades especiais.

A audiência foi proposta pela vereadora Jacqueline Posseboom – PDT. Na ocasião, pais, familiares, professores e diretores explanaram sobre às necessidades e percalços encontrados no dia-a-dia. Conforme eles, é indispensável que os alunos possam contar com uma monitora que preste o auxílio necessário para que as atividades propostas em sala de aula possam ser efetuadas de forma plena.

De acordo com Geraldo Fonseca, Diretor do Centro de Atendimento Integral a Criança - CAIC, a maior dificuldade encontrada para o atendimento às crianças com necessidades especiais diz respeito ao déficit de recursos humanos. “Temos hoje 12 crianças com necessidades especiais. Buscamos fazer o possível para atendê-los da melhor forma e encontrar uma solução”, comentou.

Ao ouvir os relatos dos presentes, a Secretária Municipal de Educação, Rosa Maria de Souza, iniciou sua explanação dizendo que compreende a necessidade do município dispor de mais profissionais e que, por conta disso, a Secretaria está realizando a elaboração de um programa, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, que permita o encaminhamento de técnicos de enfermagem para a realização do trabalho o mais breve possível.

Para a promotora de justiça, Rosângela Correa, é preciso que sejam ajuizadas ações para que os trâmites de contratações possam vir a ocorrer de forma mais rápida. Sendo assim, a Promotora sugeriu a criação de cargo permanente de profissionais que prestem o auxílio necessário às crianças com qualquer tipo de limitação.  De acordo com Rosângela, esta seria uma forma de evitar o desgaste que vem ocorrendo todos os anos, quando os pais precisam solicitar e comprovar que seu filho necessita de um monitor.

O vereador Lauri Juliani (PDT), também esteve presente na reunião. Ao se pronunciar ressaltou a labuta diária de um portador de deficiência. Destacou, ainda, a necessidade do trabalho em conjunto a fim de conquistar melhores condições de acessibilidade e inclusão às pessoas com necessidades especiais. O vereador colocou-se à disposição para a realização dos encaminhamentos necessários. Da mesma forma, o vereador Diomar Formentom (PT) mostrou-se engajado na causa. 

De acordo com a vereadora Jacqueline Possebom, nos próximos dias serão elaborados e encaminhados os documentos necessários para que seja atendida, o mais breve possível, a solicitações dos pais e professores.  Além disso, conforme a vereadora, será elaborado um projeto com base na proposta apresentada pela promotora, no qual será criado um cargo permanente para o atendimento aos alunos com necessidades especiais.