Terça, 17 de maio de 2022
Sessão Especial marca o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes
Sessão Especial marca o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes
A Câmara Municipal de Vereadores de Santo Ângelo, realizou nesta segunda-feira (17) uma solenidade alusiva ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes. A Sessão Especial foi requerida pela vereadora Simone Lunkes (PDT) e buscou destacar o quanto o tema está presente em nossa sociedade.
Há mais de 20 anos, foi instituído o dia 18 de maio, como Dia Nacional do Combate ao Abuso e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, através da Lei Federal 9.970/2000. A data, foi escolhida devido a um crime de abuso sexual contra uma criança de apenas 8 anos. O crime hediondo ocorreu em 18 de maio de 1973, quando a menina Araceli Cabrera, foi raptada, após voltar da escola onde estudava, segundo relatos de testemunhas, Araceli havia saído mais cedo da escola, para poder embarcar no coletivo que deveria levá-la embora, porém a criança não embarcou e ficou brincando próximo a um bar, após aquele momento, Araceli Cabrera não foi mais vista com vida. A menina foi drogada, estuprada e morta. Quase uma semana após o desaparecimento, seu corpo foi encontrado desfigurado atrás do Hospital Infantil, em Vitória/ES. O caso gerou grande repercussão em todo o país, porém permanece impune até os dias de hoje.
Durante sua fala, a vereadora Simone Lunkes relembrou o caso da menina Araceli, e destacou que na maioria dos casos o abusador é alguém muito próximo da vítima, no qual a criança normalmente conhece, convive e confia, podendo muitas vezes ser um membro da família, ou alguém que exerça algum tipo de poder sobre a criança. Simone, que também é Psicóloga, cita que a vítima deste tipo de violência é comum que cresçam com sentimento de medos, culpa e pouca confiança interpessoal. Para evitar este tipo de violência é preciso que os pais e responsáveis mantenham uma relação de confiança com as crianças e adolescentes, onde eles se sintam seguros para poder falar sobre qualquer assunto, e principalmente não manter segredos. Segundo ela, é necessário conversar com as crianças sobre as partes íntimas do corpo e seus limites, explicando onde jamais pode ser tocado, e que os pais necessitam saber com quais companhias os filhos andam e o que andam fazendo, afirma.
Sinais que crianças e adolescentes normalmente transmitem quando estão sendo vítimas de abuso e exploração sexual.
- Surgimento de medos que antes não haviam;
- Rejeição repentina de pessoas ou lugares específicos;
- Mudanças drásticas no humor e comportamento;
- Regressão no convívio social;
- Mudanças na alimentação e no modo de se vestir;
Para Jeferson Leon, Presidente da Associação dos Conselheiros e Ex-Conselheiros Tutelares do Rio Grande do Sul - ACONTURS, o conselho tutelar atualmente desenvolve um trabalho diferenciado, quando comparado com alguns anos atrás, onde a entidade trabalhava no atendimento das vítimas de abuso e exploração sexual, hoje, o trabalho da instituição está muito focado na parte de prevenção destes casos, atuando com projetos educacionais junto às escolas, como o trabalho educacional para crianças de séries iniciais, semáforo do toque, que de forma lúdica sinaliza partes do corpo das crianças com as cores verde, amarelo e vermelho, onde, verde significa que pode tocar, amarelo significa atenção e vermelho ninguém pode encostar. Leon, também destacou a importância da comunidade se sensibilizar com o tema, ficar atenta aos sinais de todas as crianças, e em caso de suspeitas, realizar denúncia ao órgão competente, pois o silêncio deixa marcas profundas, afirma o Presidente.
Coforme informações disponibilizadas pela Delegada Luciana Cunha da Silva, da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente de Santo Ângelo, somente neste ano a cidade já registrou 10 casos de estupro de vulnerável. Uma média de aproximadamente 2 casos por mês. No ano de 2021, os números são ainda mais altos, passando à média de 4 ocorrências de abuso ou exploração sexual a crianças e adolescentes, por mês. Segundo a Delegada, o que preocupa não são os casos que vêm à tona, e sim os quase 90% dos casos que não são denunciados, afirma Luciana Cunha. Na oportunidade, o vereador Nérison de Abreu (PRTB), pediu providências à Delegada Luciana Cunha, para investigar dois casos de abuso, o qual o mesmo entregou em mãos da Delegada Santo-Angelense, um documento manuscrito, informando detalhes da denúncia.
Estiveram compondo a mesa de honra da solenidade os vereadores Osvaldir Ribeiro de Souza, Presidente da Casa Legislativa, Maurício Loureiro, vice-presidente e Nader Awad, Secretário da Mesa Diretora, Luciana Cunha da Silva- Delegada da Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente de Santo Ângelo, Luís Carlos Rosa , Juiz da Infância e Juventude, Renato Tirapelli, Promotor de Justiça, Flávio Christensen, Secretário Municipal de Saúde representando o Executivo Municipal, Jonatã Ferreira, Coordenador do Conselho Tutelar, Luciane Veronese, Coordenadora do Centro de Atenção Psicossocial de Santo Ângelo - CAPSI e Jeferson Leon, Presidente da Associação dos Conselheiros e Ex-Conselheiros Tutelares do Rio Grande do Sul - ACONTURS. Também registramos a presença da senhora Viviane Bueno, Conselheira Tutelar de Santo Ângelo.
OUTRAS NOTÍCIAS
22 de junho de 2022
Escola Presidente Getúlio Vargas está com inscrições abertas para cursos técnicos
22 de junho de 2022
Presidente do Legislativo São-borjense visita a câmara de Vereadores de Santo Ângelo
21 de junho de 2022
Clubes de Mães da comunidade do Rincão do Sossego realizam festa junina
20 de junho de 2022
Legislativo concede a Janira do Couto Mânica a Ordem da Cruz Missioneira
19 de junho de 2022
Santo Ângelo cede 5,4 hectares à Associação Indígena Tekoa Pyau