Quarta, 11 de maio de 2022
Reunião no Legislativo prevê medidas para desafogar atendimentos na UPA

Uma reunião realizada na tarde desta segunda-feira (9), solicitada pelo Presidente do Legislativo, Osvaldir Ribeiro de Souza, esclareceu dúvidas referente ao atendimento da UPA 24 horas e destacou ações previstas para serem implantadas que reduzirão o alto fluxo de atendimento.O alto fluxo de atendimentos na Unidade de Pronto Atendimento - UPA, foi o tema mais discutido entre as autoridades presentes, seguido da demora no processo de triagem e atendimento médico. O encontro visou justamente clarear os processos desenvolvidos, sobre um assunto que a população solicita há bastante tempo.Mesmo após a pandemia do Covid-19, onde o estabelecimento foi o principal ponto de atendimento dos pacientes que contraíram o vírus, a superlotação da UPA continua. Atualmente são realizados cerca de 7,5 mil atendimentos mensais na Unidade que deveria atender casos de Urgência e Emergência, número é considerado elevado quando analisada a finalidade de atendimento da UPA.Para o médico da unidade, Fernando Bernardi, a UPA deveria funcionar como uma espécie de triagem dos casos de Urgência e Emergência, atendendo no local o que é de sua competência, e encaminhando os casos mais graves ao Hospital Santo Ângelo, o qual o município mantém convênio para casos clínicos mais graves, que não poder ser atendidos na UPA. A superlotação e demora no atendimento se dá devido ao fato dos pacientes irem diretamente à UPA para casos, na maioria das vezes, que não demandam atendimento urgente. Muitos casos poderiam ser atendidos nas próprias Unidades Básicas de Saúde, que estão distribuídas nos bairros, afirma Flávio Christensen, secretário Municipal de Saúde. Christensen destaca que as pessoas optam por irem primeiramente na Unidade devido à facilidade do atendimento, pois já saem com todos os exames encaminhados, remédios e demais necessidades supridas.Os vereadores, que também estiveram participando da reunião, aproveitaram a ocasião para perguntar sobre assuntos que a população os questiona, como a necessidade de atendimento pediátrico, a distribuição de fichas para liberação de exames, a forma de tratamento dos pacientes, e principalmente dúvidas quanto ao protocolo de Manchester, que é o método utilizado para definir a ordem de atendimento dos pacientes baseado no seu grau de urgência.Ações estratégicas foram discutidas para solucionar os questionamentos da reunião, e principalmente reduzir o fluxo de atendimento da UPA. Entre as soluções pautadas está a distribuição dos atendimentos entre as UBS’s dos bairros e, disciplinar a população através de materiais explicativos sobre a competência de cada unidade de saúde. A Secretaria de Saúde afirma que já trabalha em ações para a distribuição de atendimentos, e está implantando a liberação de determinados exames nos postos de saúde e ampliando os atendimentos médicos nesses locais.O Presidente do Legislativo, Vando Ribeiro (MDB), pontuou sobre a Lei aprovada pela Casa Legislativa, o qual determina a colocação de um mural nas unidades, onde a população tenha acesso à lista de profissionais daquele local e sua escala de trabalho.  Segundo o secretário de saúde, será providenciado o mural.Além dos vereadores, estiveram presentes na reunião, Volnei Teixeira, Vice-Prefeito Municipal; Flávio Christensen, Secretário Municipal de Saúde; Dr Loi Biacchi, Diretor Técnico UPA, Dr Fernando Bernardi, médico, Cristiano Cordeiro, Coordenador Geral da UPA 24h e Fábio Escobar, responsável pelo setor administrativo.

OUTRAS NOTÍCIAS
22 de junho de 2022
Escola Presidente Getúlio Vargas está com inscrições abertas para cursos técnicos
22 de junho de 2022
Presidente do Legislativo São-borjense visita a câmara de Vereadores de Santo Ângelo
21 de junho de 2022
Clubes de Mães da comunidade do Rincão do Sossego realizam festa junina
20 de junho de 2022
Legislativo concede a Janira do Couto Mânica a Ordem da Cruz Missioneira
19 de junho de 2022
Santo Ângelo cede 5,4 hectares à Associação Indígena Tekoa Pyau