Brasão

Câmara de Vereadores
de Santo Ângelo

Câmara de Vereadores de Santo Ângelo.
Sexta, 20 de fevereiro de 2015

Departamento de Assistência Social da Igreja Evangélica Assembleia de Deus recebe título de Utilidade Pública

 

A Câmara de Vereadores de Santo Ângelo aprovou, por unanimidade, Decreto Legislativo que concede o título de utilidade pública ao Departamento de Assistência Social da Igreja Evangélica Assembleia de Deus.

O Decreto é de iniciativa da vereadora Zilá Andres (PP) e foi apreciado nesta quinta-feira, dia 19, quando o parlamento realizou sua sessão ordinária. Conforme reiterou a vereadora, a Associação tem seu trabalho voltado para ações sociais sem fins lucrativos, o que justifica a concessão do título.

Desde setembro do ano passado, a entidade conta com o Departamento de Assistência Social, que tem prestado atendimento social e religioso, colaborando na busca de soluções de problemas que envolvem a comunidade em geral e promovendo ações que fortalecem o convívio familiar saudável.  

“Com atuação destacada junto à comunidade santo-angelense, a entidade rege-se pelo espírito de solidariedade e visa contribuir para o bom andamento da nossa sociedade, seguindo sempre princípios morais e éticos. Com caráter de voluntarismo, mantendo-se de doações e filantropia de pessoas físicas e jurídicas, a mesma é administrada por sua diretoria, constituída de pessoas de conduta séria e comprometidas com a finalidade da entidade”, ressaltou a vereadora Zilá Andres.

Utilidade Pública

O título de Utilidade Pública garante às entidades o reconhecimento como instituições prestadoras de serviços à sociedade, o que possibilita a conquista de diversos tipos de auxílio para o desenvolvimento de suas atividades, desde que sejam cumpridas as exigências prevista na legislação vigente.

 

 

11 de outubro de 2018
Reunião realizada no gabinete do Chefe do Legislativo, Everaldo de Oliveira (PDT), definiu a ilustração vencedora
10 de outubro de 2018
Automóveis são oriundos de emendas parlamentares dos deputados Cajar Nardes e Afonso Motta, e de recursos do Governo Federal